2 de janeiro de 2012

~

Chegaste tocaste-me na alma, invadiste os meus pensamentos e o ocupaste o vazio que existia em mim.
Conseguiste abrir um coração gelado a algum tempo, como os raios de sol abrem o nevoeiro numa manha tímida de primavera.
Nada como o tempo para provar-nos de algumas coisas que pensamos ser impossíveis afinal, podem realmente acontecer.
Nada como o tempo para nós provarem que aquilo que pode mudar a nossa vida melhor para melhor esta mesmo a nossa frente, felizmente, houve circunstâncias que me levaram a ti, provando-me que era possível voltar-me a apaixonar, coisa que, sinceramente não espera que acontece-se outra vez de forma tão intensa como aquilo que tu me fazes sentir.
A vida que nós possuímos é um dom a que nem todos temos direito a ela, o tempo funciona como um medidor da duração dela e dos momentos que nós fazem dizer com certeza: "ainda bem que estou vivo", momentos que duram e que ninguém apaga!
Sou defensor que devemos viver a base de momentos inesquecíveis invés de dados adquiridos, rotinas obrigatórias da sociedade que retira brilho a algo que conseguiria fazer sorrir qualquer pessoa em qualquer parte do Mundo independente da raça, religião e cor.
Sim, aqueles bons momentos de magia que nós tivemos (e vamos ter (?)) em que se alguém tivesse a observarmos só poderia ficar admirado com a grandiosidade do que vira naquele momento.
O que é que nós temos que o torna tão especial?
Afinal não somos magos e, segundo sei, não existem fadas..
Então como é possível a nós, apenas humanos, criamos laços tão fortes?
Sinceramente, se a palavra proibida não é isto, então sei que morrerei se a saber utilizar, pronunciar, nem saber o que significa ao certo.
Quando estas presente, o tempo voa, quando não estás parece que não passa e dou-me por mim, a espera de algo teu que tarda a chegar e que, por vezes não chega.
Anteriormente só sentia o teu perfume ao longe, hoje, posso-o sentir..bem perto de mim, mas até quando terei esse privilégio?

6 comentários: